fbpx

Mercado de Trabalho no Comércio Exterior: Quais as Principais Funções?

Conheça o mercado de trabalho no Comércio Exterior e saiba quais as principais carreiras de atuação desse ramo.
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Sumário

A atividade de comercialização de produtos e serviços entre países superando as fronteiras geográficas é denominada comércio exterior. É um ramo diversificado e que oferece muitas oportunidades para quem se interessa pela área, por isso o mercado de trabalho no comércio exterior é uma área muito procurada.

O comércio exterior é importante para os países não somente por trazer uma diversidade de produtos, como também é fundamental pois proporciona o contato com outras culturas.

Por causa dessa pluralidade de agentes envolvidos, o comércio exterior tem a característica de ser dinâmico. Um dos efeitos da dinamicidade comercial de maneira internacional é a desconcentração industrial. 

Desse modo, um produto pode conter peças de diversos países, assim, praticamente todos os produtos industriais fabricados atualmente são formados por um conjunto de peças de diversos países, caracterizando o comércio internacional.

Diante disso, o profissional que pretende atuar no comércio exterior deve manter-se atualizado com os acontecimentos internacionais, pois qualquer acontecimento nos países pode resultar em mudanças no comércio ou na economia do país, visto que no comércio exterior tudo está interligado. 

Neste texto, abordaremos sobre o mercado de trabalho no comércio exterior, apontando sobre as principais funções desempenhadas nesse ramo. Logo depois, falaremos sobre as principais carreiras para seguir no comércio exterior.

Mercado de Trabalho no Comércio Exterior

O comércio exterior muito se modificou desde a sua origem, antes era possível que os próprios comerciantes fizessem a intermediação das operações de troca e venda, visto que eram realizadas de maneira informal, bastando a simples vontade de negociar.

Nesse aspecto, inexistia a burocracia e os trâmites legais que hoje sabemos que existem. 

Por ser o comércio exterior dinâmico e estar sujeito às constantes mudanças, a realização de operações deixou de ser algo tão simples. Com a complexidade que esse sistema passou a ter, estas operações começaram a se tornar seguras e eficazes quando auxiliadas por um profissional especializado.

À vista disso, um dos primeiros papéis que surgiu no mercado de trabalho do Comex foi o de negociador. Para que o comércio internacional se estruturasse, foi importante a função de uma figura de auxílio, que facilitava a comunicação entre vendedores e compradores.

Não somente a comunicação, mas também atuava garantindo o equilíbrio da relação, por isso precisa ter o conhecimento aduaneiro internacional, no sentido geral e especificamente ainda é necessário conhecer a legislação e regras dos países envolvidos na negociação.   

Ainda hoje, o profissional que atua ou pretende atuar no comércio exterior, a depender do ramo da economia, precisará ter um amplo conhecimento sobre as áreas de direito, especialmente do ramo aduaneiro e internacional.

Assim também, para ser um profissional do Comex é imprescindível saber sobre economia, negociação, relacionamento pessoal e dominar outros idiomas. Ademais, é importante que o profissional também detenha conhecimentos matemáticos e entenda de contabilidade.

Se você está interessado na carreira, deve essencialmente acompanhar a política e economia internacional. Ajuda muito conhecer o relacionamento entre os países e a história.

Da mesma forma, saber quais produtos os países importam ou exportam mais é importante para que o profissional saiba como lidar com essas variantes. 

Isso mostra que o mercado de trabalho no Comex é amplo, com diversas oportunidades, porém tem um alto grau de exigência para aqueles que desejam trabalhar.

Apesar de ter proximidade, o profissional do comércio exterior não exerce a mesma função que um profissional de relações internacionais.

O profissional que atua nas Relações Internacionais busca a diplomacia entre países, por isso os aspectos relevantes para sua profissão tem relação com as áreas de ciência política, direitos humanos, de mesmo modo saberes culturais e históricos. O exercício profissional pode ser tanto no setor público, como também no privado. 

Já no Comércio Exterior, o foco do ramo são as negociações e transações comerciais. Para tanto, o conhecimento e interesse necessário para a profissão se concentra em aspectos comerciais, financeiros, logísticos e operacionais, podendo atuar no setor público ou privado 

Neste momento, entendemos o perfil e o que é preciso para ser um profissional que atua no comércio exterior. Mas, afinal, quais são as atividades desenvolvidas pelo profissional que atua no comércio exterior?                        

Principais Atividades

Como vimos anteriormente, o setor de comércio é fluído, com várias modificações, sendo necessário que o profissional saiba se adaptar. As atividades que o ramo exige seguem o mesmo sentido, depende da área do comércio exterior em que irá trabalhar.

Desse modo, a função a ser desempenhada no comércio exterior pode variar conforme o setor da economia, o porte da empresa, o cargo a ser exercido e o ramo de atuação. O profissional pode atuar em indústrias, comércio, instituições financeiras e empresas de logística.

Além disso, pode atuar também ocupando cargos públicos em secretarias municipais e estaduais, ministérios e órgãos federais ou sendo um negociador no mercado interno. Dessa maneira, pode-se trabalhar em um entidade pública ou privada.

Além do mais, os ramos de atuação também são muito diversos, podendo ser de maneira mais próxima no âmbito operacional, logístico e até na área consultiva, auxiliando as empresas e órgãos públicos em negociações comerciais.

Normalmente, as profissões no comércio exterior envolvem o gerenciamento de operações como a importação e exportação; operações de despacho e logística; contratos; análise e pesquisa de mercado; e, o controle do fluxo de embarque e desembarque de produtos.

No próximo tópico, explicaremos mais sobre o mercado de trabalho no comércio exterior.

Carreira de Trabalho no Comex

Diante dessas múltiplas opções de carreiras para trabalhar no comércio exterior, apontaremos agora as principais áreas de atuação desse ramo.

Agente de carga

O agente de carga é a pessoa que fica responsável pelos processos que envolvem o transporte de carga, fazendo o controle do fluxo de embarque e desembarque, em qualquer modal de transporte.  

Assim, o agente atua analisando as rotas e os procedimentos, a partir disso escolhe a melhor opção para as empresas, atendendo a demanda e a necessidade de cada empresa.

De mesmo modo, pode atuar coordenando toda a operação, acompanhando a movimentação da mercadoria e realizando os procedimentos logísticos junto a outros profissionais do comércio exterior, a exemplo de armadores e companhias aéreas, despachantes e transportadores.

Vale ressaltar que o profissional responsável pelo agenciamento de cargas é fundamental para as empresas que desenvolvem operações no comércio exterior, pois a contratação do agente de cargas traz mais segurança e evita problemas com a carga durante o transporte.

Se a empresa tem um planejamento quanto ao transporte de cargas, ela consegue ter a mercadoria em um tempo, otimizando esse processo. De outro modo, também impede gastos com alguma intercorrência que possa surgir.

E, caso apareça algum problema, o agente de carga irá solucionar, evitando preocupação para o empresário. Isto permite concluir que a contratação de um agente de cargas é passo crucial para garantir o sucesso da operação. 

Analista de Comércio Exterior

A profissão de analista de comércio exterior envolve o desenvolvimento de atribuições de planejamento e acompanhamento das atividades de importação e exportação. Também é o analista o responsável por analisar o fluxo de mercado e controlar os documentos das operações, regimes alfandegários e cambial.

Além disso, é função do analista mediar as comercializações internacionais, elaborar estratégias de mercado, orientar empresas em técnicas e realizar funções com clientes.

Desse modo possui a atribuição de prospecção, ou seja, atrair clientes internacionais, bem como de auxiliar no assessoramento de clientes em trocas e negociações no exterior, inclusive produzindo relatórios para garantir uma assessoria eficaz.

É de responsabilidade do Analista de Comércio Exterior também:

a) Elaboração de estratégias para que os produtos nacionais conquistem novos mercados;

b) Organização de procedimentos para a transação, importação e exportação;

c) Identificação das necessidades dos negociantes;

d) Estudo de contratos de financiamento, definindo a cotação da moeda.

Armadores

No comércio exterior, o armador pode ser uma empresa ou funcionário que é responsável pelo afretamento no transporte marítimo, isto é, a empresa ou funcionário tem a responsabilidade sobre uma embarcação que serve para atividades comerciais.

Em uma situação mais concreta, o armador é a pessoa ou empresa responsável por uma embarcação que será utilizada ou administrada por ele para realizar o transporte das mercadorias no modal de transporte marítimo. Nada mais é que uma espécie de frete, mas nesse caso é chamada de afretamento.

Nesse sentido, o armador é fundamental para o transporte de cargas, pois fica responsável por todos os procedimentos necessários operacionais e logísticos para o transporte entre os portos. 

Como também pode exercer a função de operar em rotas e navios internacionais.

Não é preciso que o armador seja o proprietário da embarcação, podendo ele ter somente a concessão do uso do navio. inclusive, algo comum é que o armador utilize uma embarcação internacional, visando conseguir mais vantagens tributárias.

Esses armadores podem ser classificados em três tipos de: o proprietário, o gerente e o locatário.

  1. Proprietário: são os donos que exploram as próprias embarcações para realizar o transporte marítimo.
  2. Gerente: é o profissional que administra o navio que possui mais de um proprietário, sendo o responsável pelo navio de terceiro, em nome desses proprietários.
  3. Locatário: o armador locatário é o que tem a função de operar um navio que pertence a outra pessoa. O armador locatário também é denominado afretador.

Os tipos mais comum de transportes marítimos os quais o armador operam são os navios:

  • Carga Geral;
  • Graneleiros;
  • Porta contêineres;
  • Roll-on Roll-off;
  • Petroleiros;
  • Cargas Químicas.

Para entender mais sobre os tipos de navios, recomendamos a leitura do seguinte artigo: Quais São os Tipos de Navios Cargueiros e Militares? (xpoents.com.br).

O trabalho exercido pelo armador pode ser intermediado por meio de uma agência marítima. Nesse caso, a agência fica responsável por intermediar a relação entre os Clientes (Importadores e Exportadores) e Armadores.

De mesmo modo, as agências também são designadas pelos Armadores para representá-los em seus interesses, deveres e obrigações nos portos, perante as autoridades portuárias. A Agência Marítima pode ser uma filial do próprio Armador ou uma empresa prestadora de serviços.

Despachantes aduaneiros

É o profissional que atua na cadeia logística, tem a função de realizar o despacho aduaneiro. Mas, o que seria isso?

O despacho é o procedimento legal de fiscalização e controle das mercadorias que entram ou saem do país que é realizado pela Receita Federal. De maneira que busca verificar se existe alguma irregularidade na operação. Para compreender mais sobre o tema, sugerimos o seguinte artigo: Despacho Aduaneiro: O Que Preciso Saber para Importar (xpoents.com.br)

Nesse sentido, é atribuição do despachante elaborar todos os documentos  necessários para o despacho. Assim, o profissional formula o registro e declaração de importação ou exportação e acompanha todo o procedimento de verificação da mercadoria.

Também tem responsabilidade sobre as questões fiscais, verificando os regimes tarifários e providenciando o pagamento dos impostos e contribuições incidentes sobre a importação, do frete, da demurrage, da armazenagem e de capatazias, do Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante (AFRMM).

Além do mais, caso seja necessário, ele também realiza a entrega de documentos. E, ainda, pode ser responsável pela etapa de desembaraço aduaneiro.

É uma figura essencial nas operações comerciais internacionais, justo porque garante que a operação possa ocorrer dentro das exigências legais, cumprindo as regras dos órgãos fiscais.

Para ser despachante, é necessário ter conhecimentos técnicos a respeito das operações de importação e exportação, bem como precisa conhecer as regras de negociação do comércio exterior. 

Trata-se, assim, de uma profissão que exige conhecimentos não só na área aduaneira, mas igualmente na de contabilidade, logística, e também do direito tributário, administrativo, comercial, marítimo, etc.

Diante disso, o despachante ainda atua como responsável da operação, firmando termos de responsabilidade, compromissos para cumprimento de exigências dos mais variados tipos em relação ao procedimento fiscal de despacho aduaneiro.

Da mesma maneira, assume a responsabilidade no procedimento fiscal, devido a isso, representam os interesses da empresa ou pessoa que o contratou, elaborando e assinando petições, impugnações, contestações e recursos perante os órgãos fiscalizatórios, desde que esteja credenciado no Sistema Integrado de Comércio Exterior (Siscomex).

A contratação de um despachante evita e ao mesmo tempo possibilita a solução de problemas da operação. Fica então, o despachante, com o dever de garantir que a operação ocorra conforme as regras e leis e que essa operação não seja custosa para as empresas.

Marketing no comércio Exterior

É possível no comércio exterior trabalhar com o Marketing Digital que  potencializa o processo de atração de novos clientes. 

Saber utilizar as ferramentas digitais para atrair clientes e parceiros pode ser bem interessante para as empresas.

A pessoa que atuar na área de marketing no comércio exterior ficará responsável pela comunicação com clientes e pela construção da imagem da empresa no  meio digital. 

Possui a atribuição de analisar as tendências de mercado, identificar os mercados mais promissores e estudar a demanda dos clientes, auxiliando principalmente no crescimento da empresa.

Operadores logísticos

O profissional que exerce a função no setor operacional é o responsável por emitir documentação e realizar diversos procedimentos para que a comercialização e transporte da mercadoria ocorra de forma eficaz.

O operador necessita de todo conhecimento sobre os modais de transporte que irá atuar. No caso do transporte marítimo, necessita saber de navios, atracação, descarga, carregamento e armazenagem.

Pode ainda o operador exercer uma função de gestor, realizando acordos comerciais com clientes e armadores,  com transportadoras, contratar outros profissionais do comércio exterior, a exemplo de agentes de cargas e despachantes aduaneiros.

A operação é realizada com uma boa logística, possibilitando a entrega de uma mercadoria em tempo ágil e com qualidade, passando para os clientes uma boa imagem de credibilidade da sua empresa.

Trading Company

Outra possibilidade de trabalhar no comércio exterior é como profissional de trading company. Nesse caso, é uma empresa que pode atuar em qualquer das operações de importações ou exportações.

Assim, o trabalho para a trading company pode envolver a realização das funções já demonstradas anteriormente. inclusive pode ser responsável por toda a operação, desde a negociação, passando pelo transporte da mercadoria e chegando no despacho aduaneiro.

Sendo assim, o mercado de trabalho oferece muitas opções para aqueles que se interessam pelo ramo, do mesmo modo, é interessante para as empresas que atuam no comércio exterior saber mais sobre as funções realizadas nas operações comerciais.

Continue acompanhando nossos conteúdos aqui no site ou através do nosso Instagram @xpoents e através do nosso YouTube. Portanto, para um estudo mais eficaz, sugerimos outros artigos na página para leitura relacionada ao tema.

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn

LEIA TAMBÉM:

Fale com um de nossos consultores

Descubra como possuimos uma solução completa para a Gestão Tributária da sua empresa!

Sobre Cícero Costa
Cícero Costa é advogado tributarista, professor de direito tributário, especialista em direito tributário pelo Instituto Brasileiro de Estudos Tributários, com MBA em negociação e tributação internacional e palestrante. Sua atuação prática em mais de 15 anos de experiência fizeram de Cícero um dos maiores especialistas em precatórios e importação em Alagoas.
Descubra como reduzir seus custos na importação de forma 100% segura
Acesse agora nosso e-book e obtenha uma vantagem competitiva em meio aos seus concorrentes.
E-book grátis