fbpx

Alta dos Combustíveis pode Encarecer ainda mais os Fretes Internacionais

Com alta nos valores dos combustíveis, o frete atinge valores recordes afetando o Comércio Exterior.
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Nos últimos meses, o mundo acompanhou mais uma crise da diplomacia com a guerra entre Rússia e Ucrânia. Diante desse cenário, os países interligados pelo comércio exterior, que dependem de produtos de outros países para o abastecimento interno, buscam resistir aos impactos provocados por essa disputa regional.

Um desses impactos mais significativos é o aumento do preço do barril de petróleo, que atualmente é a principal matriz energética do mundo. Com as sanções econômicas dos países à Rússia e a incerteza de oferta do produto, o valor do barril do petróleo atingiu um dos maiores valores dos últimos seis anos.

Isso ocorre porque a Rússia é um dos países que detêm destaque na produção de petróleo, sendo responsáveis por uma parcela significativa do fornecimento para o mundo. 

Em razão disso, as sanções geram uma menor disponibilidade de petróleo para a compra, aumentando o preço. Dessa maneira, o valor do Petróleo Brent atingiu seu preço mais alto, custando US$ 139,13 nesse mês de março, registrando  o maior número desde 2008 .  

Com isso, pode-se dizer que o aumento de preço no barril de petróleo ocasionado pelo conflito do Leste Europeu prejudica a economia dos países que dependem da importação de petróleo e gás natural.

A consequência imediata disso é o aumento do preço dos combustíveis, que afeta principalmente o consumidor que utiliza os transportes. Nesse sentido, destaca-se os motoristas de veículos, que sentem diretamente a diferença econômica no momento do abastecimento. 

De outra forma, infelizmente, esse elevado aumento no preço dos combustíveis atinge também o consumidor no custo dos fretes.

Quais os efeitos dos preços elevados na economia brasileira?

Na economia brasileira, esse aumento gera um efeito cascata, tendo como resultado final o aumento da inflação. Isso porque o aumento do preço dos combustíveis provoca o aumento do valor de outros produtos e serviços, a exemplo do frete. 

Por essa lógica, sendo certo que o Brasil é um país de grande extensão e que os produtos chegam em portos e se distribuem pelo transporte rodoviário, essa elevação provoca também o maior custo no preço final de todas as mercadorias em circulação.

A Confederação Nacional do Transporte, entidade de representação do setor de transporte no Brasil, apesar de lamentar, defendeu o repasse do preço do frete para o consumidor devido ao reajuste do valor do diesel. Assim afirmou a entidade:

“A Confederação entende que tal medida se justifica para evitar o colapso de inúmeras empresas transportadoras, que, antes mesmo desse novo reajuste, já vinham negociando com os seus clientes o repasse dos quase 50% de aumento no diesel registrado em 2021. Caso não haja o repasse imediato, a operação de transporte no Brasil corre o risco de se tornar inviável”.

Saiba qual o reflexo do aumento dos combustíveis no Comércio Exterior

No Comércio Exterior, essa alta de preço aparece no aumento do valor de fretes internacionais, destacando-se os modais marítimo e rodoviário.

O combustível utilizado pela maioria dos navios é formado por derivados do petróleo, é chamado de óleo combustível ou bunker oil. O  preço do bunker registrou alta de 84,2% em fevereiro de 2022, em rotas transatlânticas. 

Esse setor já enfrentava dificuldades por causa da pandemia de Covid-19 que causou uma desorganização sem precedentes na logística do comércio internacional. O cenário era de congestionamentos nos portos, falta de equipamentos e valores de frete excessivamente altos.

Conforme a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a situação atual é ainda pior, tendo em vista que o preço médio do serviço de transporte começou 2022 com valor 5,7 vezes maior do que antes da pandemia.

Os dados do valor do frete de contêineres mostra que o aumento foi superior a 6x. Assim, antes da pandemia para enviar um contêiner custava , em média US$ 1.500 e atualmente pode chegar a US$ a 9.500, segundo o gráfico do Índice Mundial de Contêiner (World Container Index), exposto a seguir:

Sendo assim, o impacto do aumento dos preços dos combustíveis na economia brasileira e diretamente no preço do frete prejudica o consumidor, tem reflexos principalmente no comércio exterior. Espera-se uma discussão entre países e a CNI para desenvolver ações com o intuito de equilibrar a situação atual.

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn

LEIA TAMBÉM:

Fale com um de nossos consultores

Descubra como possuimos uma solução completa para a Gestão Tributária da sua empresa!

Sobre Cícero Costa
Cícero Costa é advogado tributarista, professor de direito tributário, especialista em direito tributário pelo Instituto Brasileiro de Estudos Tributários, com MBA em negociação e tributação internacional e palestrante. Sua atuação prática em mais de 15 anos de experiência fizeram de Cícero um dos maiores especialistas em precatórios e importação em Alagoas.
Descubra como reduzir seus custos na importação de forma 100% segura
Acesse agora nosso e-book e obtenha uma vantagem competitiva em meio aos seus concorrentes.
E-book grátis