fbpx

Elisão, Elusão e Evasão Fiscal: Planejamento Fiscal para Benefícios Fiscais

Compreenda como conceitos tributários de elisão, elusão e evasão podem ajudar a obter estratégias para a sua empresa.
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Sumário

Obter um diferencial competitivo não é mais uma questão de escolha, mas sim de necessidade para se manter no mercado, por isso utilizar benefícios fiscais é fundamental para seu negócio.

No âmbito da importação, é essencial aprender como o Direito Tributário influencia diretamente às operações, pois devido a alta carga tributária que possuímos, reduzir custos tornou-se uma questão de sobrevivência.

Assim, alguns conceitos tributários podem ajudar a obter estratégias para o mercado através de um planejamento tributário, contudo nem sempre são conhecidas ou utilizadas, por isso, iremos agora iniciar os estudos sobre elisão, elusão e evasão.

elisão

Qual a diferença entre elisão, elusão e evasão fiscal?

É muito importante ter cuidado para não confundir elisão e evasão fiscal, que são as mais discutidas, contudo também vamos diferenciar a elusão fiscal, outra modalidade de redução de impostos.

Para começarmos, podemos dizer que elidir significa suprimir/eliminar. Assim, no contexto tributário, isso significa a redução da carga de tributos pagos. 

Sendo assim, a elisão ocorreria antes do fato gerador, com a intenção de celebrar negócios significativamente menos onerosos.

Existem dois tipos de elisão fiscal, a que decorre da lei e aquela que advém das brechas da lei.

Podemos dizer que a que está expressamente prevista em lei é, em suma, a vontade do legislador de incentivar o desenvolvimento econômico com o comércio exterior, por exemplo.

Por outro lado, aquela que encontramos nas brechas da lei é uma alternativa alcançada pelos investidores como estratégias para reduzir seus custos com a alta carga tributária, de maneira eficiente e legal. 

Neste sentido, os benefícios fiscais servem para impulsionar o incentivo ao comércio externo e assim beneficiar a economia interna, por exemplo, se tratando de uma previsão expressamente disposta pelo legislador. 

No que se refere à evasão fiscal, esta significa principalmente fazer sumir/escapar. Na relação tributária, dizemos que ela se dá através da sonegação de impostos a partir de práticas ilícitas como as fraudes. 

Ou seja, sua ocorrência se dá após a instituição do fato gerador, em uma tentativa de mascarar a sua aplicação, reduzindo ilicitamente os custos com o pagamento dos tributos.

Por isso, deve-se ter cuidado com esta prática, pois como iremos analisar mais adiante, sua utilização pode constituir crime fiscal. 

Já a elusão significa esquivar/driblar alguma situação, caracterizando-se, portanto, por uma simulação que finge a ocorrência do fato gerador.

Assim, em síntese, todas estas situações, embora nem todas legais, decorrem da necessidade em reduzir a alta carga tributária brasileira. 

Portanto, a elisão é uma forma lícita de benefício fiscal que pode ser utilizada no planejamento tributário, contudo a elusão e a evasão fiscais constituem-se em práticas ilícitas e possuem artifícios ardis para lograr vantagem econômica. 

Retomando o que dissemos anteriormente, iremos em seguida aprender sobre a licitude da evasão fiscal.

elisão

A evasão e a elusão fiscal são crimes?

A evasão e a elusão fiscal são uma artimanha ilícita para tentar fraudar o sistema fiscal

Contudo, veremos adiante que a evasão fiscal é uma modalidade mais gravosa do que a elusão, pois esta se descoberta pelo Fisco, incidirá a cobrança como deveria ter sido feito desde o início e o contribuinte será obrigado a pagar.

Temos a previsão da Lei n° 8.137 de 1990 que dispõe sobre os crimes contra a ordem tributária e suas relações de consumo. 

Assim, logo no artigo 1° da referida lei, percebemos a preocupação do legislador em proteger a ordem econômica, no seguinte sentido:

Art. 1° Constitui crime contra a ordem tributária suprimir ou reduzir tributo, ou contribuição social e qualquer acessório, mediante as seguintes condutas: (Vide Lei nº 9.964, de 10.4.2000) I – omitir informação, ou prestar declaração falsa às autoridades fazendárias; II – fraudar a fiscalização tributária, inserindo elementos inexatos, ou omitindo operação de qualquer natureza, em documento ou livro exigido pela lei fiscal; III – falsificar ou alterar nota fiscal, fatura, duplicata, nota de venda, ou qualquer outro documento relativo à operação tributável; IV – elaborar, distribuir, fornecer, emitir ou utilizar documento que saiba ou deva saber falso ou inexato; V – negar ou deixar de fornecer, quando obrigatório, nota fiscal ou documento equivalente, relativa a venda de mercadoria ou prestação de serviço, efetivamente realizada, ou fornecê-la em desacordo com a legislação. Pena – reclusão de 2 (dois) a 5 (cinco) anos, e multa.

Ou seja, verificamos que mesmo por descuido, o particular responderá por qualquer ato que fuja dos padrões exigidos pela lei. 

Essa preocupação decorre da necessidade do Estado em tratar a todos de forma isonômica, com igualdade de oportunidades, sem que os interesses privados prevaleçam sobre o público.

Dessa forma, podemos dizer que a evasão é estritamente proibida no nosso ordenamento jurídico, fazendo-se essencial ter cuidado para não incorrer nas penas da lei e se manter sempre alerta para com as exigências estatais. 

Elisão lícita x elisão ilícita

Cumpre ressaltar que alguns autores reconhecem o lado ilícito da elisão. 

Assim, ela seria caracterizada pela abusividade de um planejamento tributário capcioso. 

Ou seja, enquanto a elisão lícita é legítima e sempre ocorre antes do fato gerador, além de estar congruente com a legislação, a elisão ilícita é abusiva ou ineficaz, pode ocorrer antes ou depois do fato gerador, utiliza-se também de condutas que afrontam a forma jurídica permitida pela legislação tributária.

Por isso, como nós podemos perceber, o que alguns doutrinadores conceituam de elisão ilícita, outros (corrente majoritária) definem como elusão fiscal. 

Em suma, vimos que as as principais conceituações utilizadas giram em torno da elisão, elusão e evasão fiscal. 

Como posso aplicar a elisão fiscal na importação?

Como vimos, a elisão fiscal é a única dentre as três citadas que pode ser utilizada legalmente, e por isso comentaremos como deve ocorrer a sua aplicação. 

Para a sua correta aplicação é interessante que você faça um planejamento tributário especializado, pois uma série de requisitos devem ser levados em consideração. 

Assim, é preciso ter em mente que vários aspectos, como o objeto da sua importação, o seu tipo de negócio e por qual Estado será realizado, devem ser estudados a fim de que possa lograr êxito com a utilização desse benefício fiscal para a empresa.

Ademais, sabemos que existem vários tipos de benefícios fiscais que podem ser usados de forma simultânea, por isso, é muito importante que o investidor conheça quais as melhores formas de usufruir os incentivos fiscais. 

Dessa forma, através de um estudo detalhado, o investidor possuirá maior segurança jurídica durante todo o processo de importação, além de evitar incorrer em prejuízos caso não possua a técnica necessária para o exercício. 

Ou seja, para a correta aplicação da elisão e de demais benefícios fiscais, é necessário analisar uma série de requisitos que são específicos de cada empresa, visando sempre o máximo de vantagens a serem aplicadas ao investimento.

elisão

Em conclusão, vimos as principais diferenças entre a elisão, elusão e evasão fiscais. 

Assim, para melhor compreendê-las dizemos que a elisão diz respeito aos benefícios e incentivos que a legislação oferece para o desenvolvimento da economia. 

Além disso, ocorre antes do fato gerador, visando reduzir os custos com o pagamento dos impostos, agindo em consonância com a legislação tributária.

Enquanto que a elusão, que também pode ser chamada como elisão ilícita, decorre de atos jurídicos simulados pelo empreendedor com o intuito de que o fato gerador não incida. 

Neste sentido, podemos citar a fusão de dois negócios a fim de usufruir de algum benefício, como por exemplo uma isenção que seria concedida, mas que de fato não ocorre, havendo, portanto, uma simulação da sua ocorrência. 

Assim, se o Fisco descobrir, ele deverá tributar normalmente a operação. 

Já no que se refere a evasão fiscal, esta consiste em uma forma expressamente proibida por lei que tem como intuito a fraude, sonegação ou simulação tributária. 

Dito isto, pois, é certo que um planejamento tributário especializado é de suma relevância, pois deve estar adequado nos termos da lei, bem como viabiliza um procedimento seguro e que garanta o sucesso dos seus negócios. 

Por isso, é essencial estar atento a respeito das formas e da legislação que sempre está se atualizando, para evitar prejuízos por ausência de conhecimento devido em cada etapa da importação. 

Dessa forma, é imprescindível uma preparação específica voltada para os benefícios fiscais e sua utilização, a fim de que não incorra em efeito rebote e constitua mais prejuízos do que benefícios. 

Sendo assim, para melhores considerações, sugerimos a leitura de outros artigos relacionados ao tema, já disponibilizados em nosso site. 

Saiba mais sobre benefícios fiscais em nosso curso de “Introdução aos Benefícios Fiscais na Importação”.

Continue acompanhando nossos conteúdos aqui no site ou através do nosso Instagram @xpoents e através do nosso YouTube.

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn

LEIA TAMBÉM:

Fale com um de nossos consultores

Descubra como possuimos uma solução completa para a Gestão Tributária da sua empresa!

Sobre Cícero Costa
Cícero Costa é advogado tributarista, professor de direito tributário, especialista em direito tributário pelo Instituto Brasileiro de Estudos Tributários, com MBA em negociação e tributação internacional e palestrante. Sua atuação prática em mais de 15 anos de experiência fizeram de Cícero um dos maiores especialistas em precatórios e importação em Alagoas.
Descubra como reduzir seus custos na importação de forma 100% segura
Acesse agora nosso e-book e obtenha uma vantagem competitiva em meio aos seus concorrentes.
E-book grátis